sábado, 13 de julho de 2013

Efraim Medina Reyes – Técnicas de masturbação entre Batman e Robin, Pistoleiros/Putas e dementes e Era uma vez o amor mas tive que matá-lo.

o escritor brincando de roleta-russa

Fiquei um bom tempo sem postar aqui. Desilusão com a literatura? Não. Novos caminhos a serem percorridos. As vezes como Rimbaud é preciso viver um pouco e como Bukowski fingir uma adaptação, uma integração com a sociedade pra sacanear depois. Mas deu saudade e nesse eterno retorno aqui estou novamente para falar desse escritor colombiano muito interessante. Acima os títulos dos livros que li e que encomendei por sebos espalhados pelo Brasil inteiro. O cara é “bom de título” porém muitas vezes estes não demonstram o verdadeiro conteúdo e por conseqüência  é impressionante a quantidade de “Técnicas de masturbação” devolvidas pelos leitores às prateleiras. Fico imaginando o cara comprar esse livro buscando muita sacanagem e humor despretensioso e fácil e deparar-se com fracassos, desilusões, lirismo e experimentações formais. (risos) Pena que as pessoas não perceberam que é um bom livro assim como os demais e que fogem muito da mesmice. Vai entender o leitor....Com isso ganhei descontos bem vindos na estante virtual. Efraim é desses amigos que encontramos perambulando pela América Latrina, como Gutierrez, como Fuguet e que gostaríamos de tomar uma cerveja na mesa de um bar bem decadente. O cara não tem tramela e fala em prosa e verso desde a chifrada que levou da namorada, uma imaginária transa com Silvia Plath , desventuras de uma banda underground, técnicas para conquista e sedução até uma despretensiosa mini-biografia não autorizada de Kurt Cobain. Portanto mais pop impossível. O alter-ego Rep vai perambulando pelos subúrbios mais escuros das cidades mais apagadas e envolvendo-se nas situações mais insólitas. Nessa miscelânea encontramos momentos muito poéticos intercalados com humor refinado e uma auto-sabotagem constante. O eterno descontentamento desses seres latino-americanos que andam à margem, num local incerto, tão incerto como Cartagena das Índias e quiçá com forçada analogia: Ribeirão Preto minha querida cidade colônia penal. Essa passagem é bem ilustrativa: “Dia e noite deixamos nossos sonhos de amor, nossas loucuras e ilusões diante da tevê enquanto acumulamos desleixo, gordura e remorsos”. Recomendo para quem está lendo os mesmos livros com as mesmas fórmulas várias vezes e que hoje estão na lista dos mais vendidos e amanhã não servirão nem mesmo para forrar a gaiola(objeto em desuso) ou para limpar a bunda. Precisamos ousar nas escolhas meu caro leitor que sai em passeatas, escreve cartazes espirituosos, se emociona e chora e não percebe que continua sendo manipulado pelo Grande irmão e aumentando o ibope dos telejornais. “Retorna neste verso a tarde com os cílios molhados e o sol contradizendo a garoa. Há um potro sem domar amarrado à alma e os olhos da ira se agitam nesta tarde sem cavaleiro” É esse o espírito contestador e vibrante do escritor que atrás de um visual misógino-caribenho e de um auto-marketing duvidoso esconde e revela muitas coisas  nas entrelinhas. O prefácio “a máquina de somar zeros” de “pistoleiros/putas e dementes” é imperdível cabendo aqui algumas transcrições “uma vida sem canções e sexo oral é muito entediante” (...) “os poemas não evitam guerras, nem curam a gripe, mas ajudam a suportá-las” (...) “Se você está lendo esta linha ou a seguinte, o problema é seu; como a máquina de somar zeros, tudo o que eu digo e em que me baseio pertence ao vazio porque o destino de um livro nunca estará nas mãos de quem o escreve, e sim de quem o lê”. Falou e disse! E serviu ao menos para destravar esse blog mais uma vez. Quiça chegarei às quinze mil crônicas de Rubem Braga. O sorriso fechado já é um começo.

3 comentários:

Gustavo Correa Barreto disse...

Excelente blog! Estava pesquisando sobre o Bitch, o bar trash do Pornopopeia e descobri casualmente o seu blog. Coincidentemente fala também de outro livro que comprei a gora, que é o livro do Bortolotto. Tenho um blog também nessa linha, se interessar: http://papo-petisco-pinga.blogspot.com.br/




Gustavo Correa Barreto disse...

Excelente blog! Estava pesquisando sobre o Bitch, o bar trash do Pornopopeia e descobri casualmente o seu blog. Coincidentemente fala também de outro livro que comprei a gora, que é o livro do Bortolotto. Tenho um blog também nessa linha, se interessar: http://papo-petisco-pinga.blogspot.com.br/




Luiz Tinoco Cabral disse...

Obrigado pela força Gustavo o seu blog também é muito interessante! Essa nossa paixão cega por literatura ainda vai longe....Grande abraço - e o pornopopéia é ótimo mesmo - Bortolotto idem....esses caras escrevem sem afetações, maneirismos etc. e isso é um alento na literatura atual.